Secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão visita Dow Portugal

No dia 5 de junho, o Secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão, do Planeamento e das Infraestruturas do Governo de Portugal, Nelson de Souza, visitou as empresas do Complexo Químico de Estarreja (CQE), incluindo a Dow Portugal. A Secretaria de Estado do Desenvolvimento e Coesão está dentro do Ministério do Planeamento e das Infraestruturas, área estratégia para as companhias químicas de Estarreja.

Estarreja, Portugal - 17 dezembro 2018 - No dia 5 de junho, o Secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão, do Planeamento e das Infraestruturas do Governo de Portugal, Nelson de Souza, visitou as empresas do Complexo Químico de Estarreja (CQE), incluindo a Dow Portugal. A Secretaria de Estado do Desenvolvimento e Coesão está dentro do Ministério do Planeamento e das Infraestruturas, área estratégia para as companhias químicas de Estarreja.

O Secretário começou a sua visita oficial na Bondalti (novo nome corporativo da CUF), onde os diretores das empresas fizeram uma breve breve descrição do CQE e suas operações integradas. Em seguida, visitou em um mini-autocarro a Bondalti, CIRES e Air Liquide, passando por último pela Dow Portugal. Depois de receber explicações gerais sobre a fábrica de MDI e o Terminal de Aveiro, o Secretário de Estado fez uma paragem na sala de controlo onde pode conversar com líderes, staff e operadores da Dow.

Group Photo

Sandra Martins, Diretora da Dow Portugal, avalia como muito positiva a visita do Secretário. "Menos de três meses após receber o Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, tivemos a possibilidade de poder mostrar a um Secretário de Estado como operamos e a importância da Dow Portugal para o complexo e para a economia do país", ressalta, destacando que Nelson de Souza explicou detalhadamente como funcionam os programas nacionais e europeus de apoio às empresas e à economia, especialmente na área de infra-estrutura. "Para além desse tema, tratamos com o Secretário outros assuntos importantes para a competitividade do CQE como a integração do Complexo".